50314433_336507143620873_4627092482729967616_n.jpg

O evento, que discutirá os desafios de Cabo Verde num contexto de transformação digital, conta com o apoio do Ministério das Finanças e da Escola de Negócios e Governação da Universidade de Cabo Verde e com os patrocínios da consultora PwC, Banco Interatlântico e Banco Comercial do Atlântico.

A Escola de Negócios e Governação da Universidade de Cabo Verde participa na próxima sexta-feira, dia 8 de fevereiro, numa conferência sobre literacia financeira e supervisão bancária no atual contexto de integração e transformação digital.

A  conferência servirá para discutir os principais desafios que se colocam a Cabo Verde, nesta nova fase, tendo em conta que “ nem o sistema financeiro nem a população cabo-verdiana podem assistir, indiferentes, as transformações, que têm surgido”.

O evento contará com dois painéis, compostos por representantes das mais importantes instituições financeiras de Cabo Verde, que irão colocar em perspetiva as novas normativas mundiais de supervisão face à realidade cabo-verdiana.

A  sessão terá em cima da mesa as transformações digitais que têm acontecido em todo o mundo e que proporcionam um conjunto de oportunidades particularmente “para os países como Cabo Verde, cuja insularidade incentiva a adoção dos meios digitais”.

A temática da educação financeira será analisada na conferência, tendo em conta que esta  “tem o papel de esclarecer o modo de funcionamento do sistema bancário e as oportunidades que este oferece e a supervisão garante o seu bom funcionamento”.

A conferência conta com o apoio do Ministério das Finanças e da Escola de Negócios e Governação da Universidade de Cabo Verde e com o patrocínio da consultora PwC, Banco Interatlântico e Banco Comercial do Atlântico. Ao vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças de Cabo Verde, Olavo Correia, estará entregue a abertura do encontro.

Prevê-se ainda a participação de líderes e quadros empresariais do sector financeiro de Cabo Verde, um leque de especialistas a nível mundial em supervisão bancária e literacia Financeira, como Pedro Machado, diretor de Serviços Jurídicos do Banco de Portugal, e Pedro Duarte Neves, presidente do Comité para a Proteção dos Consumidores e Inovação Financeira da Autoridade Bancária Europeia, bem como de alunos das áreas da economia e gestão empresarial.