Apresentação_banco_mundial.jpg

A Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), Polo do Mindelo, recebeu no passado dia 24 de janeiro de 2019 o representante do Banco Mundial, Doutor Rob Swinkles que veio apresentar o Diagnóstico Estratégico de Cabo Verde.

Baseado numa revisão de documentos existentes, na análise dos dados disponíveis e em discussões e entrevistas com especialistas, este Diagnóstico apresenta uma avaliação dos principais constrangimentos e oportunidades que o país vem enfrentando à nível do crescimento e pobreza, bem como algumas vias para a redução da pobreza extrema.

Segundo o que foi apresentado pelo Doutor Swinkles, Cabo Verde teve um desenvolvimento notável ao longo do último quarto de século baseado na estabilidade política, políticas económicas sólidas, instituições fortes que mantiveram o Estado de Direito, sustentando uma democracia aberta e mantendo a corrupção sob controlo.

No entanto o país sofre alguns constrangimentos ao seu crescimento económico, sendo estes: a falta de capital humano qualificado, agravado por taxas de abandono escolar relativamente altas; a conectividade fraca em termos de infraestruturas de transporte, Tecnologias de Informação e Comunicação e energia; o fraco desempenho do setor público, que continua a acumular uma alta dívida, sendo seu desempenho considerado relativamente ineficaz e ineficiente; e a falta de resiliência das famílias e do país, que devido às suas características geográficas está exposto a desastres naturais e riscos de alterações climáticas que podem impedir as famílias de melhorarem seus meios de subsistência.

Entretanto, algumas oportunidades e percursos podem ser aproveitados para aumentar o crescimento e para a reduzir a pobreza, a saber: turismo mais diversificado e inclusivo; expansão do setor agrícola e pesqueiro que têm estado mais voltados para as exigências do mercado; aproveitamento da posição estratégica de Cabo Verde junto às principais rotas marítimas e aéreas para que este se torne um centro logístico competitivo; e capitalizar as potencialidades específicas de cada ilha no sentido de impulsionar o seu desenvolvimento.

Nota-se que o país enfrenta desafios, mas que também é possível trabalha-los de forma a aumentar o crescimento económico, a reforçar a inclusão social e a melhorar a resiliência.