IMG_3573.JPG

Na sequência do início da fase de pré-incubação do programa EMPREAMAR CV, que teve o seu início no passado 21 de março de 2018, na Escola de Negócios e Governação (ENG), os oito projetos, selecionados na fase anterior, foram apresentados pelos seus desenvolvedores.

No presente momento todos estão a desenvolver as suas ideias de negócio em coordenação com os formadores do Programa Empreendedorismo Marítimo.

Alcindo Cabral apresentou “Paraíso dos Mariscos” uma empresa que irá fornecer mariscos ao mercado de São Vicente, através da compra em outras ilhas, possibilitando um armazenamento nas melhores condições. A motivação da empresa é a de conseguir melhor condição de vida e garantir empregos, pois isso se tornará numa mais-valia para os jovens da ilha, pois “porque não usar um negócio para criar valor na sociedade?”

Vânia Teófilo, doutorada em engenharia biométrica, veio de São vicente motivada por uma preocupação ambiental sublinha que “o objetivo seria recolher os resíduos sólidos das áreas costeiras e do mar”, e na “Cabana Ideias – ECO” vai ocorrer uma transformação em artigos para comercializar, por ser um projeto social “vai ter o objetivo de reeducação no uso de plásticos descartáveis, e de dar preferência ao uso de artigos reciclados”, frisa.

Hirondino Silva, por sua vez, veio de Santo Antão motivado pela “autonomia e liberdade para criar o próprio negócio” como afirma, com o objetivo de “contribuir para a sustentabilidade familiar, melhorar a dieta alimentar e compreender a importância do consumo do pescado”. Disso nasceu o projeto criar uma “Oficina de Transformação de Pescado”, onde se pode oferecer peixe fresco, “e que no mar há formas de se conseguir singrar na vida”, sublinha.

Vindo da ilha do maio com o objetivo de “aproveitar o que a natureza oferece, mostrar às pessoas do maio a importância do peixe e melhorar a alimentação”, Janice Inês diz que foi motivada pela “vontade de ter o próprio negocio, e de criar uma empresa onde posso ter o controlo e tomar as decisões”. Assim nasce o projeto de montar uma “Unidade de Transformação e Conservação de Pescados”.

Para o tarrafalense, Emanuel Tavares Silva, como forma de contribuir para o desenvolvimento da sua localidade, teve a ideia do projeto que é o de “montar uma loja com materiais de pescado”. “Quero dar o meu contributo para o desenvolvimento da pesca na comunidade”, afirma.

A dupla constituída por Leonardo Varela e José Manuel vieram de Porto Mosquito, com o objetivo de “ajudar os pescadores da zona” afirmam com um projeto de conservação do pescado, “pois os pescadores gastam muito em transporte e conservação “segundo a dupla.

Júlio Barros, natural de Santa Cruz, foi motivado a “ter uma loja de materiais de pesca, pois adquiri-los, é uma grande dificuldade para os pescadores de Santa Cruz”, por isso “ o objetivo é o de facilitar a vida das vendedeiras e pescadores, para terem uma melhor qualidade de vida e contribuir para o desenvolvimento”

Elceline Moreno, por sua vez, desenvolve o projeto TRANSPOMAR que “basicamente passa pelo transporte marítimo de turistas” como afirma. O seu objetivo é o de “driblar o desemprego em Cabo Verde, e fazer com que mergulhem e conheçam o nosso maravilhoso fundo do mar“.

Com os oito projetos dos empreendedores que passaram para a fase da pré-incubadora do programa EMPREAMAR CV, fica demonstrada a força e a importância do empreendedorismo para a economia cabo-verdiana.